sábado, 10 de janeiro de 2009

O 18 de Janeiro de 1934

A data de 18 de Janeiro de 1934 ficará para sempre ligada à história dos vidreiros, e das suas lutas em Portugal. Nesse longínquo dia, um punhado de homens, na maioria operários vidreiros, de armas na mão, lutaram contra um regime que viria a amordaçar o Povo Português durante 48 longos anos.Para tentar perceber minimamente o que levou esses homens a seguir esse caminho, é preciso ver os antecedentes sociais, económicos e políticos que se viviam em Portugal e, em particular, na Marinha Grande, naquela época.Com o derrube da Monarquia, em 5 de Outubro de 1910, instalou-se em Portugal uma República, que demorou muito a consolidar-se o que levou ao golpe de Estado de 1926.Em 1930, uma profunda crise social atingiu a Marinha Grande.“Década, após década, a história repete-se nesta terra, será sina”!...Este foi também o ano em que a ditadura, saída do golpe de Estado de 1926, começou a estabilizar e a impor a sua lei.Os anos 30 e 31 foram particularmente difíceis para quem trabalhava na indústria vidreira. Com o apagar dos fornos, o trabalho escasseava, em consequência a fome atormentava os vidreiros e as suas famílias. A solução, na altura, foi trabalhar no pinhal. José Gregório, destacado dirigente do Partido Comunista relatou, deste modo, em 1931, a situação vivida:- Em virtude da crise que a indústria vidreira atravessa, uma grande parte dos operários vidreiros desempregados, conseguiu através dos seus protestos que o governo concedesse uma verba para realizar trabalhos no Pinhal do Rei, nomeadamente a abertura de caminhos.

Sem comentários:

Publicar um comentário